Data de publicação:18.12.2019<Voltar

Serviços e Treinamentos GERISK

Teasers Terrestres PETROBRAS: Em 22 de setembro último a PETROBRAS iniciou a etapa de divulgação de Oportunidades (Teasers), referentes à cessão dos Direitos de Exploração, Desenvolvimento e Produção de 5 Campos Terrestres. Em 2016, a produção média diária desses campos foi da   ordem de 17.400 barris de óleo equivalente. Para quem pretende aproveitar as Oportunidades participando do processo as próximas etapas previstas são: Fase Não-Vinculante (se for o caso), Fase Vinculante, Concessão de Exclusividade para Negociação (se for o caso), Aprovação pela Diretoria Executiva e Conselho Administrativo da Estatal, Assinatura dos Contratos e Fechamento da Operação (closing).

O REATE 2017: Grupo de Trabalho do Programa de Revitalização das Atividades de Exploração e Produção de Petróleo e Gás Natural em Áreas Terrestres, criado em 27 de janeiro de 2017 publicou o seu Estudo Diagnóstico das Atividades de Exploração e Produção Terrestres em 15 de Setembro de 2017.

O Programa REATE tem como objetivos estratégicos:

a) Revitalizar as Atividades de E&P em áreas Terrestres no território Nacional;

b) Estimular o desenvolvimento Local e Regional;

c) Aumentar a Competitividade da Indústria Petrolífera Onshore Nacional.

Nas últimas décadas, as atividades de E&P no BRASIL foram direcionadas para a plataforma Continental (ou Offshore), onde ocorreram descobertas de campos com maior potencial de Reservas. Como resultado, a produção Terrestre em 2016 correspondeu a 5,5% da Produção Total de Petróleo no BRASIL (média diária aproximada de 149,4 mil barris de petróleo) sendo 96% oriunda da PETROBRAS, sendo a motivação do REATE.

O diagnóstico do REATE teve por objetivo identificar as fragilidades e os obstáculos no segmento Onshore. Os temas analisados foram agrupados em três áreas temáticas: Políticas Governamentais, Regulação e Comercial/Infraestrutura. A consolidação do Relatório do Diagnóstico servirá de base para um Planejamento Integrado com o objetivo de:

a) Reverter a tendência de declínio da Curva de Produção das áreas Onshore;

b) Aumentar o Fator de Recuperação de Hidrocarbonetos;

c) Aumentar regularmente e Produção Competitiva de Gás Natural;

d) Aumentar a atratividade das Rodadas de Licitações específicas;

e) Aprimorar o ambiente de Negócios da Indústria de E&P Terrestre, suportando o desenvolvimento da Indústria Local e Regional, nas áreas produtoras.

Da nossa lista de Serviços e Produtos, ao menos, os quatro Serviços e Produtos descritos constituem-se em ferramentas, técnicas e procedimentos relevantes para subsidiar inicialmente a Tomada de Decisão e posteriormente a elaboração, implementação e otimização dos Projetos na área de exploração e explotação.  

EVTE: viabilidade é a qualidade do que é viável, isto é, tem probabilidade alta de se tornar realidade (se concretizar). Entende-se por Análise de Viabilidade o estudo que procura antecipar o eventual Sucesso de um determinado Projeto. Em geral, são estudados os aspectos técnicos e econômicos, minimizando assim, em muito, a margem de erro.

Nosso EVTEASp – Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica, Ambiental e Social incorpora nas estimativas também os impactos socioambientais. Principais Usos: Melhorar a Previsibilidade do Projeto em estudo (tempo, custo, VPL); Subsidiar a Tomada de Decisão; Planejamento e Programação de Recursos, principalmente os compartilhados ou avaliados como críticos. Alguns exemplos de aplicações: projetos Exploratórios, Projetos Exploratórios (de desenvolvimento da produção), Estudos de Viabilidade de Blocos Exploratórios, Estudos de Viabilidade de Campos Maduros e/ou Marginais.

EngPOÇO – Estudos e Trabalhos Técnicos na Engenharia de Poço. A partir dos Dados e Informações validadas são feitos os Estudos, Projetos e Programas de Perfuração (drilling) e Completação (completion) de POÇOS. Principais usos: Elaboração e/ou Consultoria em Projeto, Programa ou Estudo Técnico Específicos de Perfuração de POÇOS de Petróleo  Gás; Elaboração e/ou Consultoria em Projeto, Programa ou Estudo Técnico para Completação de POÇOS de Petróleo e Gás; Elaboração e/ou Consultoria em Estudo Técnico Específico da Área de POÇO; Elaboração e/ou Consultoria em Projetos de Campos Maduros.

EstiPRO – Estimativa Probabilística de Tempo, Custo e VPL do Projeto. A partir dos Dados, Informações, Premissas e Critérios Validados e utilizando a Metodologia GERISK é elaborada uma previsão para a duração, custo e VPL do Projeto. Principais usos: Conhecer a probabilidade do Tempo, Custo e VPL esperados (obter a pdf – Função de Densidade de Probabilidade); Elaborar o Modelo Lógico do Projeto melhorando o entendimento e conhecimento  das suas especificidades; Obter subsídios para a Tomada de Decisão, a partir de uma análise de Sensibilidade dos Parâmetros, Riscos e Incertezas presentes. 

Consultoria nas questões de UNITIZAÇÃO: a partir dos Dados e Informações disponíveis é elaborado um Estudo e Análise Técnica incluindo, além do econômico, os aspectos Legais e Jurídicos para subsidiar a Tomada de Decisão em Acordos de Individualização da Produção.

A UNITIZAÇÃO (produção unificada, unificação, individualização da produção) – Unitization é a operação conjunta e coordenada de um reservatório, por todos os detentores de direitos nas seções que se à sobrepõem a jazida.

O processo de individualização de jazidas é recorrente na indústria de petróleo e gás mundial e tem-se tornado questão relevante nos campos do pré-sal brasileiro. A divisão dos Campos de Lula e Cernambi, por exemplo, tem sido foco de discussão entre a ANP (entende que as áreas formam um único campo) e a PETROBRAS (classifica como campos distintos). Essa questão tem impacto relevante no pagamento da Participação Especial (royalties pagos em áreas de exploração com grande rentabilidade). O valor estimado pela ANP para esse caso é da ordem de R$ 30 bilhões ao longo do contrato de 35 anos.

O AIP (Acordo de Individualização da Produção) é um acordo contratual envolvendo múltiplas áreas ou blocos para permitir que o campo ou um agrupamento de pequenas jazidas seja desenvolvido de forma mais eficiente. Conceitualmente, vários reservatórios podem ser produzidos individualmente ou produzir como um corpo único compartilhando os custos, obtendo escala e utilizando as mesmas instalações de produção. Em muitas situações, é desejável adotar um mecanismo para permitir que as partes possam reajustar seus retornos econômicos individuais, na medida em que seja comprovada que a sua participação na jazida aumenta ou diminui. Este mecanismo para reajustar os interesses individuais é denominado Redeterminação (Redetermination).

À medida que as áreas produtoras amadurecem e novos blocos exploratórios se tornam escassos, a probabilidade dos Reservatórios atravessarem os limites dos Blocos é cada vez maior. Além disso, a Geofísica já permite uma melhor interpretação da Subsuperfície e detecção das suas inter-relações com melhor precisão. Somado a isso, os Governos, por meio dos Órgãos Reguladores, estão agora assumindo um papel mais pró-ativo no Gerenciamento de seus Recursos (buscando otimização) e, com isso, encorajando ou até mesmo direcionando as empresas a unificar alguns campos. Nesse debate técnico bilionário estão presentes “ganhos e perdas”, a viabilidade exploratória e, ainda, impacta os Royalties, impostos e até a divisão da Produção. 

Qualquer dúvida ou esclarecimento adicional é só nos contatar.

COMPARTILHE: